Próximos livros

IMG_0154

Com oficinas de pintura de capas iniciadas no mês de outubro, o “Coletivo Unidos pelo Cerrado” começou a produção dos livros “Histórias da Nossa Cidade” e “Festa das Cores”. Os textos foram escritos entre os meses de março e novembro, em oficinas mensais, e contam sobre a cidade de Gouveia e também as impressões dos jovens sobre as festas  juninas. Lançamento previsto para janeiro/16. Vamos que vamos!

IMG_0177

IMG_0159

IMG_0161

por Catapoesia

Releitura

IMG_8800

IRMANDADE

Sou homem: duro pouco
e é enorme a noite.
Mas olho para cima:
as estrelas escrevem.
Sem entender compreendo:
também sou escritura
e neste mesmo instante
alguém me soletra.

Octavio Paz

por Catapoesia

Brilho Próprio

CN3 (313)

Criança é um bricabraque constante:
ora brinquedo, ora brisa,
ora brinde inebriante!
Às vezes brincadeira
só do olhar.
Outras, insistente britadeira.
De repente, corrida
sem brida!
Tomara ser seu vício
eterna brilhantina.

(Solange Sol)

Dedico poema e fotos a todas as crianças que fizeram a nossa Consciência Negra!

CN3 (38)

CN1 (90)

CN2 (86)

CN2 (14)

por Catapoesia

Biblioteca Cartonera

IMG_0209

Livros da Biblioteca Cartonera Catapoesia são lidos por jovens de escolas públicas municipais e estaduais de Serra Negra durante o mês da consciência negra. Tia Tança foi o escolhido da vez. Por meio da história da matriarca do Quilombo do Mato do Tição, em Jaboticatubas, Minas Gerais,  os jovens tiveram uma aula de cidadania e de respeito às comunidades tradicionais, aos saberes e fazeres e à religiosidade do Matição. Conheceram também um pouco da história da África e das influências africanas em nossa cultura.

IMG_0160

IMG_0193

por Catapoesia

Inspiração

IMG_9766

A horta do MARP. Foi esse  o lugar que inspirou o livro Canteiro! É muito importante para os jovens moradores do bairro rural do Pantaleão porque é nele que aprendem um pouco sobre a rica medicina tradicional tão necessária para a cura de algumas doenças. É importante também porque aprendem a cultivar e a produzir seus próprios remédios, sendo que algumas receitas eles mesmos trazem de casa para compartilhar uns com os outros. Foi no projeto “Mais Mata Mais Vida”, de educação ambiental, que há muito tempo iniciou-se a interação da criança com a horta. Durante o projeto, os jovens aprenderam um pouco da história e da magia de cada erva, além das”sabenças do povo do Pantaleão”. Catapoesia chegou para sistematizar esses saberes e fazeres no livro Canteiro. Por meio de brincadeiras semanais com o boneco Zebedeu, pode-se criar de forma coletiva algumas quadrinhas bem à cultura popular para realizar os registros que geraram o livro. O lançamento aconteceu no último dia 4 de dezembro onde aconteceram também a Folia do Zebedeu e o Sarau-Zim.

IMG_9818

Brincadeiras com palavras

IMG_9830

Sarau-Zim

IMG_9850

Brincadeiras durante a “Folia do Zebedeu”

por Catapoesia

Próximo Lançamento

IMG_1245

Jovens escrevem quadras

O Coletivo do Pantaleão é formado por jovens que frequentam o MARP – Movimento de Ação Rural do Pantaleão – zona rural de Amparo, São Paulo. Com eles, o projeto Catapoesia acontece de forma a valorizar a produção textual simples como as quadrinhas, os ditados populares, os causos. Neste ano, que já é o terceiro da parceria, priorizamos “quadrinhar” a horta do local, considerada farmácia natural pois contém ervas curativas que ajudam a tratar algumas doenças peculiares. Junto à proposta de produção do livro cartonero intitulado “Canteiro”, está a realização da “Folia do Zebedeu”, boneco da cultura popular, mascote das ativades da ONG Trilhas da Serra. O lançamento do livro e a Folia estão programados para o início do mês de dezembro.

IMG_1257

Livro usado para escrever as quadrinhas

produzidas durante os encontros

IMG_6289

Pesquisa de campo

IMG_7092

O dia da taioba

por Catapoesia

Coletivo do Espinho

IMG_7868

A Comunidade Quilombola do Espinho é a mais nova parceira do projeto Catapoesia. Iniciou-se no mês de setembro o processo formativo do grupo de jovens Espinho que receberá por seis meses oficinas  da metodologia da Tecnologia Social a fim de estruturar uma mini-gráfica colaborativa na comunidade e o Coletivo poder produzir os seus próprios livros a partir da coleta de histórias orais. Além disso, os jovens já são os responsáveis pelo registro das memórias, o que já vem acontecendo com o processo da coleta das Folias locais.

IMG_7752

Luana e Nislane

por Catapoesia

Aniversário

IMG_8330Neste mês, completamos dois anos de certificação como Tecnologia Social. Temos muitos motivos para comemorar o reconhecimento de nossa ação que há seis anos tem-se mostrado coerente com seus objetivos e com a sua metodologia, protagonizando jovens e dando-lhes autonomia para, no diálogo intergeracional, conhecerem a sua história e se reconhecerem como parte integrante dela. São muitos os parceiros que têm caminhado junto a nós e a nossa rede. Pessoas que só somaram porque compartilham conosco os mesmos anseios e o mesmo “olhar sensível”. Agradecemos a aproximação, a amizade e o compromisso de cada um. Somos também gratos principalmente aos coletivos de educadoras da prefeitura de Serra Negra e de Amparo e aos coletivos jovens do Matição, CESTA, DE-FUSÃO, Loucos por Memória, Raízes de Xakri, Pantaleão, Bairro da Serra, Unidos pelo Cerrado, Casa do Elefante e ao mais novinho… lá do Espinho. E que venham muitos outros nos próximos seis anos! Conheça nossa Tecnologia:

http://www.fbb.org.br/…/pesquisa…/detalhar-tecnologia-93.htm

www.catapoesiamuseu.org

facebook: catapoesia

por Catapoesia

Unidos pelo Cerrado

IMG_5381

O Coletivo Unidos pelo Cerrado, grupo de jovens da Caminhos da Serra de Gouveia, está em processo formativo na sede da organização desde janeiro de 2015. Nos meses de julho, agosto e setembro, os temas foram patrimônio cultural, memorial e organização de eventos culturais. Pretende, até o final do ano, lançar um livro de memórias pela Tecnologia Social.

25 julho 1

Carol e Bruna digitam seus textos

por Catapoesia

Inventário Participativo

Espinho

Desde maio, o projeto Catapoesia está acontecendo em parceria com a comunidade quilombola do Espinho, em Minas Gerais em dois processos: colaboração no inventário participativo das Folias e formação de um coletivo jovem para produzir livros com capa de papelão, de acordo com a metodologia da Tecnologia Social. Os encontros são mensais e a participação dos jovens tem sido fundamental na coleta de histórias e de registros.

IMG_5126

Nislane registra memórias

por Catapoesia

13ª Semana de Museus

IMG_1978

A parceria estabelecida entre o Ponto de Cultura “Loas” e o Ponto de Cultura “Trilhas de Cultura e Meio Ambiente” foi o tema abordado pela ONG Trilhas da Serra durante a 13ª Semana de Museus, no mês de maio. Com o tema “Museus e Sustentabilidade”, a coordenação achou pertinente falar da comunidade tradicional do território indígena Xakriabá, em São João das Missões, Minas Gerais a fim de conscientizar os jovens sobre o modo sustentável de vida das comunidades indígenas. Foram exibidos vídeos, expostos objetos e fotos, todos presenteados nas idas da coordenadora Solange durante os oito meses da parceria. O processo de produção do livro “Homenagem ao Sr. Elifa” foi o objeto das palestras. As crianças encantaram-se com as histórias da “Onça Iaiá”, com o método artesanal de tecer a esteira de palha de buriti, com os artesanatos e com as tintas. Também assistiram ao vídeo “Panha do Pequi”, enviado pelo Joel durante o mês. Pela exposição passaram mais de 500 jovens que interagiram com a proposta e empoderaram-se com os conhecimentos adquiridos.

IMG_15104º Ano da EE “Prof. Amélia Massaro”

IMG_1462EE “Prof. Amélia Massaro”

IMG_0749EMEI “Aracy Sodré”

IMG_0846EMEI “Aracy Sodré”

por Catapoesia

Caminhos

IMG_0488

Caminhos

Nossa estrada é real.
Nela, não há reis ou rainhas
de alguma realeza.
Há povo trabalhador e leal
lapidador diário de suas entrelinhas
arremessadas no seu pão sobre a mesa.

Gente simples de coração
que caminha sob um diamante
sem nenhum desvio de rota:
sua sabedoria fundada na tradição,
espécie de alento inebriante
da palavra que conota.

Nesse trajeto, percorremos riquezas:
contagiantes episódios, ora lenda,
ora mito e, muitas vezes, memória,
que ditos com toda a leveza
vão tapando nossas fendas
e tecendo uma outra história.

Solange Sol

por Catapoesia

Canteiro

IMG_3493“Canteiro” é o nome do livro que está sendo escrito pelos jovens do MARP – Movimento de Ação Rural do Pantaleão – durante pesquisa sobre as ervas plantadas na horta da Instituição. O boneco Zebedeu é o mascote do grupo e o grande incentivador das atividades realizadas todas as terças-feiras sob coordenação da equipe da Biblioteca Comunitária Trilhas da Palavra.

IMG_3515

por Catapoesia

Seguindo as Trilhas de Minas

1 (31)

Segunda etapa do processo formativo do Coletivo “Unidos pelo Cerrado”, na ONG/Ponto de Memória Caminhos da Serra, em Gouveia, Minas Gerais. Nessa etapa, os jovens participantes do projeto conheceram um pouco mais sobre seus Direitos e compartilharam momentos especiais junto ao Sr. Toco Pequi, mestre raizeiro, e Sr. Manoel do Norte, mestre repentista, além de participarem de uma roda de cantoria junto à Cabocla, viola caipira do poeta. Na sequência, no domingo, foi a vez de visitar a comunidade quilombola do Espinho, na mesma cidade, local onde se propõe multiplicar a metodologia do projeto Catapoesia para que o Coletivo, junto à comunidade, iniciem o processo de registro histórico. Vamos que vamos! É Minas Gerais, Cerrado, Cultura, Memória, Intercâmbio, Identidade, História e um afeto enorme tomando conta de todos nós.

1 (287)

1 (298)-001

1 (403)

1 (420)

por Catapoesia

I Seminário de Educação Patrimonial

1 (53)Aconteceu no mês de março, em Cordisburgo, Minas Gerais, o I Seminário de Educação Patrimonial. O encontro objetivou trazer à reflexão a importância dos bens culturais materiais e imateriais para a salvaguarda da memória de povos, comunidades e cidades. Durante as apresentações, foi mostrado ao público como se realizou o projeto Recordança nos seus oito meses de execução: a pesquisa da história dos objetos junto à comunidade, o inventário, os registros escritos e audiovisuais e o processo de elaboração do livro “Objetos”, lançado durante o evento. Recordança é o nome do Ponto de Memória, iniciativa do IBRAM – Instituto Brasileiro de Museus que, junto com outras iniciativas espalhadas pelo Brasil, promovem ações de memória e de museologia social.

1 (94)

Público Jovem

1 (147)

Visitantes da Exposição

IMG_0193

Adriana Andrade, de Paraopeba

1 (69)

Manoel do Norte

IMG_0184

Toco Pequi

por Catapoesia

O Tato

1 (8)-001O tato

Na terra de Rosa,
um tapete
perfuma a vista
reluzindo-se em gotas de ametista.
Precioso tempo
registrado em filetes
esparramados
no topo equidistante
entre mim e o meu semelhante.
(Solange Sol)

por Catapoesia

Conto que Conta

IMG_1209

“Você tem um conto que conta
guardadinho na memória
dos que um caminho aponta
indicando a trajetória?”

Estamos coletando histórias para os livros em 2015.

Participe enviando um email para catapoesia@gmail.com

por Catapoesia

Memória

Gouveia 1 (99)

O resgate de memórias em comunidades inicia-se a partir da força jovem. Muitas vezes, são os jovens que estão predispostos a coletar as histórias e registrá-las em suportes audiovisuais e livros. Só que antes de realizar a coleta com os membros mais velhos dos locais, é necessário vivenciar esse processo de fala e de escuta. É dessa maneira que a ONG Trilhas da Serra realiza parte da formação necessária para a posterior pesquisa e registro: preparando os adolescentes para conduzir todo o processo, tornando-se protagonistas. A educação da sensibilidade permeia todas as atividades, levando-os a perceber, a sentir e a vibrar com o seu entorno, seja ele a natureza, a cidade, as pessoas à sua volta.

Gouveia 4 (56)

por Catapoesia