Metodologia

METODOLOGIA

1º – A coordenação pesquisa a comunidade em que o projeto possa ser desenvolvido, contacta lideranças e jovens, apresenta a proposta e faz a sensibilização para a realização do projeto. Se houver parceria, escolhem-se os jovens que se interessam pela proposta para dar início às atividades. Um jovem do coletivo é escolhido pelo grupo para ser o coordenador local na comunidade.

2º Assim feito, são agendados os primeiros encontros de formação em que são trabalhados os temas: Projeto Catapoesia, Cultura, Leitura e Produção Textual, Meio Ambiente, Gestão Cultural, Artes Visuais, Audiovisual e Fotografia – temas esses fundamentais para que os jovens possam entender os objetivos, a totalidade e a abrangência do projeto Catapoesia.

3º Após a formação por tema, inicia-se a formação específica para o projeto: Projeto Cultural (Planejamento de atividades), Memória e História Oral, Registro, Produção Textual, Edição em Software, Impressão, Artes Visuais (pintura em papelão), Cartonagem, Publicidade, Produção de Eventos.

4º Escolha do tema e das pessoas envolvidas na produção do primeiro livro.

5º Após a escolha do tema e da pessoa entrevistada ou do roteiro a ser traçado, agendam-se os encontros para a coleta de material como histórias de vida, casos, memórias, saberes e fazeres na comunidade, o que ocorre em consonância com o item 3, uma vez que a proposta é conciliar a teoria à prática, estimulando os jovens a planejarem, executarem e finalizarem cada etapa do processo.

6º A partir do momento em que já se tem o material coletado, o coletivo juvenil se reúne para assistir aos vídeos e realizar as oficinas de produção textual, onde aprendem técnicas de escrita e reescrita dos textos para adequá-los à proposta.

7º Com os textos prontos, o coletivo juvenil divide-se para realizar a sua digitalização em programa de computador e a sua posterior impressão e também para a pintura das capas de papelão. Cada livro tem uma tiragem inicial de cem (100) exemplares.

8º Com os conteúdos impressos e com as capas prontas, o passo seguinte é a colagem dos mesmos nas capas, finalizando, assim, a etapa produção dos livros.

9º Em seguida, é organizado o evento de lançamento do livro com um sarau literário.

10º O lançamento acontece com a tiragem de cem (100) livros, no mínimo.

11º Durante todo o processo é feita a divulgação em mídias.

12º Esse processo é repetido a cada realização de um novo título/livro.

MEDIDAS DAS CAPAS

As medidas para a confecção do livro artesanal no tamanho A4 são:

1. Para as capas, usamos papelão de cerca de 2 a 3 mm de espessura. Cortamos retângulos de 22 cm x32,5 cm de caixas compradas de catadores ou coletadas em mercados e em papelarias.

2. Fazemos a pintura no lado do papelão que contém elementos gráficos. Palavras, frases, logotipos de marcas servem de ponto de partida para a criação da capa.

3. Usamos guache, por ser a tinta de preço mais acessível no mercado. Pincéis chatos, de cabo amarelo são os melhores, pois suas cerdas são mais resistentes.

4. Após cortarmos o papelão, com régua ou com um padrão em ferro inoxidável, devemos marcar a lombada de aproximadamente 1 cm. Para um trabalho mais exato, marcamos com lápis uma linha que divide o papelão ao meio. Traçamos mais duas retas, meio centímetro para cada lado, de modo que restem 15,75 cm para a capa e 15,75 para a contracapa.

5. Depois de seca a capa, fazemos o estêncil, em plástico ou folha de radiografia. O estudo do título deve ser feito em papel quadriculado. Depois, este é passado para o plástico e cortado, vazado com estilete.

6. Com um rolinho de espuma, passado com tinta em consistência da pasta sobre o estêncil, pinta-se o título.

7. O caderno pode ser grampeado ou costurado. Em geral, fazemos cadernos com 32 páginas. Usamos papel reciclado industrial. Impressão a laser ou xérox.

8. Para grampear, o ideal é ter grampeador semi-profissional, de cabo longo (usado em gráficas). Para a costura, uma agulha grossa com ponta e linha grossa (pode ser para bordar).

9. Para costurar o caderno, faz-se um registro com três furos. O registro pode ser feito com um pedaço de plástico resistente (21 cmx2 cm). Os furos podem ser feitos com um prego, um no meio (10,5 cm, e dois distando 6 cm do furo do meio).

10. Começa-se de fora para dentro, passando a linha pelo furo central. Em seguida, do furo superior para fora, até o inferior, e para dentro do caderno, novamente. Passa-se a agulha pelo furo central. Amarram-se as duas pontas, do lado de fora.

11. O caderno pode ter uma folha colorida que é colada na terceira capa.

12. Depois da montagem, refila-se o papel, ajustando a capa, com estilete ou tesoura.

(Fonte: Lúcia Rosa – Projeto Dulcineia Catadora)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s